Carreira

40 empresas se unem para fomentar empregabilidade de mulheres

Liderado pela TIM, movimento consiste na divulgação de vagas de trabalho, cursos e programas de capacitação para mulheres

de Melissa Rocha em 4 de outubro de 2021

As mulheres representam, hoje, a maior fatia da população brasileira. Segundo o último levantamento do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), divulgado em 2019, elas correspondem a 52,2% da população, percentual que representa 109,4 milhões de mulheres.

Nas últimas décadas, o número de mulheres no mercado de trabalho aumentou de forma expressiva. Contudo, a pandemia desacelerou essa expansão. Segundo a Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios Contínua (Pnad), divulgada em março, pelo IBGE, a pandemia retirou 8,6 milhões de mulheres do mercado de trabalho.

Isso trouxe a necessidade de criar mecanismos para fortalecer a presença feminina no mercado de trabalho, de forma a não retroceder nos avanços conquistados no setor. E algumas empresas já têm iniciativas em prática. Uma delas é a operadora TIM. Em julho, a empresa iniciou um movimento para ampliar a presença das mulheres no mercado de trabalho. O movimento, que começou com nove empresas, hoje conta com a adesão de 40, e reúne nomes como Aon, Baker Hughes, Bradesco, Dell Technologies, Energisa, Grupo Hope, Huawei, Kroton, Nokia e XP Investimentos.

A iniciativa consiste na divulgação de vagas de trabalho, cursos e programas de capacitação, por meio do aplicativo Mulheres Positivas, plataforma idealizada e criada pela empresária Fabi Saad, para apoiar o desenvolvimento pessoal e profissional das mulheres.

Momento demanda ações urgentes

Segundo a vice-presidente de Recursos Humanos da TIM, Maria Antonieta Russo, o movimento é urgente, visto que a pandemia acentuou as desigualdades sociais e de gênero.

“Pesquisas recentes mostram que a pandemia acentuou as desigualdades sociais e de gênero. O Brasil registrou uma taxa de desemprego recorde entre as mulheres, alcançando quase 18%. Mobilizamos grandes companhias, em diferentes setores, que entenderam a urgência dessa iniciativa concreta de inclusão e transformação social e atuarão conosco em ações de empregabilidade, capacitação e desenvolvimento profissional de mulheres”, explica Maria Antonieta.

Compartilhe nas redes sociais!

Enviar por e-mail