foram muitas mudanças em RH nos últimos 20 anos
Gestão

Com foco na LGPD, Orys alerta sobre adequação da nova lei

Diversas grandes organizações já estão em conformidade com a lei. Mas a maioria das PMEs ainda não se preparou para a fase que já começou

Quantas empresas fizeram a lição de casa, quando o assunto é a adequação à LGPD? Segundo um estudo realizado no final do primeiro semestre deste ano com mais de 400 organizações que atuam no Brasil, 64% das empresas não estão em conformidade com a Lei Geral de Proteção de Dados (LGPD).

O levantamento foi feito pela Akamai Technologies e envolveu a consulta com companhias dos setores de varejo, tecnologia, entretenimento, saúde, financeiro, logística e comunicação e marketing.

O processo para essa adequação já deveria estar totalmente pronto. No entanto, a complexidade para tomar todas as providências, especialmente, com o cenário inesperado da pandemia global em curso, tornou a questão ainda mais difícil.

Os impactos da nova legislação certamente terão uma dimensão exponencial para cidadãos, empresas e órgãos públicos. As grandes corporações estão muito mais adiantadas e em linha com o cumprimento das normas da nova LGPG. Porém, a grande maioria das empresas ainda está em fase de adaptação de seus processos para atender à legislação. 

“Embora saibam da importância e necessidade desta adequação, uma boa parcela do segmento de PMEs não deu a largada a esse procedimento interno e podem, por exemplo, comprometer a participação em concorrência de serviços em grandes empresas, que já estão exigindo de seus fornecedores que estejam totalmente adequados à nova lei”, explica o diretor da Orys, Eduardo Julião.

Para as empresas que ainda precisam se preparar para cumprir a nova legislação, a agência propõe um checklist:

>> promover o engajamento da liderança de todas as áreas da empresa (RH, Jurídico, TI, Financeiro, Marketing, Comercial, entre outros);
>> identificar o estágio atual de processos e sistemas da empresa no que tange a dados pessoais;
>> redesenhar os processos e sistemas adequando à LGPD;
criar um ‘Privacy by Design’, ou seja, a privacidade de dados deve passar a fazer parte da cultura organizacional e focar no monitoramento de resultados (KPIs) e acompanhamento contínuo.

A nova lei vem justamente para organizar o cenário corporativo, uma vez que estabelece como os dados dos brasileiros devem ser coletados, tratados, armazenados e protegidos, prevendo punições para descumprimento, em casos de vazamentos ou outras irregularidades.

Case Neotass

O time da Orys conta com mais de 30 consultores e especialistas, que atuam fortemente no desenvolvimento, implantação, execução e acompanhamento, orientando na adoção de tecnologias, soluções e modelos preditivos para atuar em todas as frentes dos mais diversos setores da economia.

Sua cliente, a Neotass, agência de marketing que presta serviços para grandes indústrias de eletrônicos, está em avançado processo de adequação à LGPD. Um dos desafios da empresa foi ter iniciado esse trabalho em meio à pandemia, com toda sua equipe atuando de maneira remota.

A Orys fez uma radiografia sobre o acesso direto às informações que circulam pelo sistema da agência, levantando quais profissionais manipulam tais dados, identificando as necessidades e traçando um fluxograma.  

Essa primeira fase resultou em um desenho de processos, definição de quem é responsável por acessar os dados dentro das áreas competentes, principalmente referentes a contratos de negócios. Dessa forma, criou-se uma rota de adequação para que a Neotass estivesse em aderência com a nova lei.

A Neotass já iniciou a segunda e última fase na implantação de soluções que visam melhorias nos sistemas de TI e validações de base legal e jurídica, como um complemento para estar 100% em conformidade com tudo o que envolve essa atual realidade.

Compartilhe nas redes sociais!

Enviar por e-mail


-